A pergunta do momento é: Quando você irá para a nuvem?

  • Compartilhar

Em janeiro de 2015, onze estados brasileiros foram afetados pelo apagão. Além de milhões de residências sem luz, operações de cifras altíssimas das indústrias de todos os setores tiveram prejuízo. Este fato acendeu um alerta vermelho para os executivos brasileiros, e trabalhar com a hipótese de novas quedas de energia virou prioridade. Afinal, não há sistemas no ar sem energia. E sem sistema, as operações da empresa ficam seriamente comprometidas.

Para complicar ainda mais, os fatos apontam para próximos meses turbulentos no fornecimento de energia: baixo nível de chuva (no Brasil, 70% da geração de energia é hidrelétrica) e baixo investimento em infraestrutura para atender a demanda. As consequências no mercado são o aumento de custo da energia e instabilidade no fornecimento. Para sua empresa, isso significa impacto no bolso e informações do seu negócio em risco por conta de paradas não programadas. Em época de incertezas no cenário econômico e a empresa apertando os cintos dos custos, não é nada animador, não é mesmo?

Para proteger as informações do seu negócio de paradas inesperadas e manter a sua operação rodando com os custos sob controle, agir com precaução é fundamental.

Se você estava aguardando um sinal definitivo para adotar a cloud computing, este sinal chegou – e com muita força. Quanto antes você for para a nuvem, melhor.

Cenário de maturidade da computação na nuvem
Cloud computing já atingiu seu estágio de maturidade, fato comprovado por números dos últimos anos. De acordo com pesquisa feita pela IDC, em janeiro de 2013, 46,6% das organizações consideravam usar serviços em nuvem. Durante este mesmo ano, os investimentos na nuvem pública no Brasil foram da ordem de US$ 342 milhões. A previsão é que para 2015 este número avance para US$ 977 milhões. Já o Gartner, aponta a convergência da nuvem como prioridade entre as 10 tendências estratégicas de TI para 2015.

Cloud computing garante disponibilidade dos sistemas
Adotar a nuvem é uma maneira segura de garantir a eficiência energética e a disponibilidade dos sistemas na sua organização. Os bons fornecedores de serviços de computação na nuvem oferecem sistema de redundância de link e geradores de energia próprios, que garantem a disponibilidade de energia e acesso aos sistemas crítica, como ERP, CRM, BI e e-commerce.

Custos sob controle
Ar condicionado, prédio, estrutura de segurança do prédio do datacenter, recursos contra incêndio e desastres naturais, rede de energia elétrica e geradores, no-break e sistema de segurança lógica são recursos compartilhados. Significa um alto impacto na redução dos custos de tecnologia da informação na sua empresa. Uma boa mãozinha para ajudá-lo na operação “apertando os cintos dos custos”, não é mesmo?

Para somar ainda mais, existem outros recursos oferecidos por uma estrutura de cloud computing que reduzem significativamente os custos para sua empresa. Veja aqui neste post “Descubra como cloud computing reduz drasticamente os custos da sua empresa” como isso acontece na prática.

Selecione um bom parceiro
A escolha de um bom parceiro é o primeiro passo. Não basta oferecer a infraestrutra. O grande diferencial está em agregar serviços de monitoração e suporte que entreguem segurança, flexibilidade e confiança para você. Aqui neste material “Os 10 critérios mais importantes para selecionar um provedor de serviços gerenciados em cloud computing” você encontra dicas preciosas para selecionar um bom fornecedor.

A adoção dos serviços em nuvem é sinônimo de garantia de disponibilidade e competitividade para sua empresa. Não espere pelo próximo apagão para tomar uma ação preventiva e proteger o seu negócio. A hora de ir para a nuvem é agora.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa