América Latina lidera adoção de aplicações na nuvem

  • Compartilhar

Fonte: Convergência Digital 30 de Abril de 2012

Grandes empresas na América Latina e na Ásia lideram a adoção de aplicativos no modelo cloud computing, enquanto que nos EUA e na Europa as mesmas se mostram mais conservadoras em relação à tecnologia. É o que revelou uma pesquisa conduzida pela Tata Consultancy Services (TCS) com mais de 600 gestores de TI de organizações com receita superior a 1 bilhão de dólares.

O estudo apontou que as empresas na América Latina são as que possuem o maior número de aplicativos (39%) hospedados ‘na nuvem’, onde os dados ficam armazenados em servidores virtuais e são acessados via web. Logo depois vem a região da Ásia-Pacífico, com 28% do total. Enquanto isso, as empresas americanas (19%) e europeias (12%) se mostram mais reticentes em relação à adoção da plataforma.

Ainda de acordo com a pesquisa da TCS, o número de aplicativos corporativos baseados em cloud computing tende a crescer em média 18% até 2014. Até lá, a expectativa é que a América Latina continue à frente em relação ao modelo (56%), seguido por Ásia-Pacífico (50%). Já EUA e Europa ficariam com 34% e 24%, respectivamente.

Possíveis brechas de segurança são apontadas como uma das principais barreiras para a adoção da computação em nuvem no mercado corporativo, especialmente nas nuvens públicas. Apenas 20% das empresas americanas e europeias colocariam seus aplicativos de missão crítica em nuvens públicas. Já no que diz respeito a nuvens privadas, esse número salta para 66% nos EUA e 48% na Europa.

O estudo também indica que a redução de custos não é a principal razão para a transferência dos aplicativos para o modelo cloud computing, mas sim a necessidade de simplificar e acelerar os processos. Nos EUA e na região Ásia-Pacífico, as empresas citaram a padronização de aplicativos de software e processos de negócio como a principal vantagem competitiva para a migração de aplicativos para a nuvem. Na Europa e na América Latina, a capacidade de adicionar ou remover sistemas de forma mais rápida foi apontada como a principal motivação.

As áreas de marketing, vendas e serviços respondem por pelo menos dois quintos do orçamento entre as quatro regiões pesquisadas. Já no que diz respeito às verticais de negócios, as indústrias de serviços de saúde, automotiva e de hardware estão na liderança em alavancar o modelo de cloud computing.

“Atingimos uma curva importante na adoção da computação em nuvem e esse é um caminho sem volta. Aplicativos baseados em cloud são uma parte considerável da infraestrutura de TI das grandes empresas e os benefícios são significativos demais para serem ignorados. Há uma enorme margem para crescimento, tanto nos mercados desenvolvidos quanto nas economias emergentes, e acreditamos que a computação em nuvem continuará criando novas oportunidades para as organizações por meio de diferentes funções”, diz N.Chandrasekaran, CEO mundial da Tata Consultancy Services.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa