Case – Belarina Alimentos migra ambiente de TI para infraestrutura da CorpFlex e reduz custos com tecnologia

  • Compartilhar

Logo_Belarina

A indústria de alimentos Belarina, uma das mais importantes companhias do mercado de moagem de trigo no Brasil, pertencente ao Grupo CGG (Cantagalo General Grains), trading brasileira especializada em grãos e à Seaboard Corporation, líder americana na indústria de moagem de trigo – decidiu migrar todo seu ambiente de TI com as soluções de outsourcing de TI e Cloud Computing fornecidas pela CorpFlex.

A Belarina optou por terceirizar a área de TI com a CorpFlex por questões estratégicas. A companhia, que foi fundada em 2010, há cerca de dois anos recebeu um aporte financeiro da multinacional americana para expandir a operação no país e dobrar a capacidade de produção, pulando das atuais 15 mil toneladas/mês de trigo para cerca de 35 mil toneladas/mês. Para isso, está investindo na construção de um novo moinho, na região de Sorocaba, para ser um dos mais modernos da América Latina. “Estamos investindo em tecnologia para garantir a qualidade e estruturar de forma organizada todos os processos internos. Nossa meta é encostar nos líderes do setor e encontramos na CorpFlex o parceiro ideal para buscar esse objetivo”, destaca Edilberto Carmo, gerente de TI da Belarina Alimentos.

De acordo com o executivo da Belarina, o projeto em parceria com a CorpFlex teve início em 2014 .“Trocamos o fornecedor de TI e estamos prevendo uma economia de cerca de R$ 500 mil/ano ou o equivalente a aproximadamente R$ 48 mil/mês”, afirma. O ganho, de acordo com o gerente de TI da Belarina, não se restringiu ao âmbito financeiro. “Além da economia que geramos a partir da terceirização da nossa infraestrutura de TI, pois não precisamos mais nos preocupar com hardware, licenças, mão de obra, treinamento, consultoria, entre outras questões, aumentamos o nosso nível de serviço, garantindo um suporte diferenciado. Literalmente estamos fazendo ‘mais com menos’ ”, comemora Carmo.

Hoje a equipe de TI da Belarina é bem enxuta: cinco profissionais atuam dentro da empresa na gestão dos recursos instalados para que os processos internos funcionem perfeitamente. “Nosso core business é produzir farinha de trigo. Deixamos os cuidados com a infraestrutura em nuvem com quem é especialista nisso”, afirma.
Segundo o gerente de TI, atualmente todos os sistemas da companhia rodam nos servidores da CorpFlex por meio de nuvem privada entre os quais o ERP da SAP, soluções de RH, email, help desk etc. A solução disponibiliza um ambiente com um grupo de servidores virtuais de uso exclusivo da Belarina, que contabiliza cerca de 300 acessos simultâneos. “A oferta de nuvem privada da CorpFlex é segura e de alta performance e ainda agrega serviços de suporte e operação de backup”, diz.

O projeto de outsourcing de TI e Cloud Computing com a CorpFlex envolveu diversas soluções, como firewall gerenciado, que permite à Belarina Alimentos tomar as decisões adequadas sobre as políticas de segurança da empresa e gestão dos links de comunicação a fim de aperfeiçoar a o gerenciamento dos processos entre a fábrica e seus centros de distribuição. “Estamos implementando toda a infraestrutura de TI também nos nossos dois novos centros de distribuição que serão conectados com a infraestrutura da CorpFlex. A tecnologia representa o coração da nossa operação. Se ela falhar, a empresa para”, reforça o gerente de TI ao explicar que hoje toda a operação comercial da Belarina está baseada em uma plataforma de gestão empresarial “parruda” e com mobilidade.

“Nossos vendedores que ficam em campo tiram o pedido por meio de dispositivos móveis, esse pedido entra no nosso sistema e aí dispara todo o processo até que seja entregue ao cliente. Tudo isso exige segurança, alta disponibilidade de acesso e escalabilidade para ajustar as demandas. Nossa operação de TI é complexa para atender cerca de 25 mil clientes”, afirma.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa