Cloud x Legado: Um embate no dia-a-dia da TI

  • Compartilhar

Fonte: Convergência Digital 04 de Junho de 2012
Usar a cloud computing como opção para a manutençaõ dos sistemas legados é um desafio que várias empresas enfrentam no dia-a-dia. E esse é o caso da TV britânica BBC. Roger Crothers, diretor de tecnologia da BBC, revelou que o uso de cloud computing e de virtualização são prioridades em sua área, principalmente pela necessidade de redução de custos. O executivo afirmou que seu orçamento anual de £ 700 mil tem sido consumido com projetos táticos, como a manutenção de sistemas legados. “É como colocar um band-aid em um ferimento à bala, porque os problemas são maiores do que podemos resolver”, diz.

“É bom ter uma estratégia, mas quando você está fazendo tudo taticamente é difícil adotar um direcionamento estratégico, de modo que essa definição se torna inútil. É muito bom dizermos que teremos ciclos regulares de atualização, mas alguns de nossos sistemas têm 11 anos de utilização”, afirma.

Por conta disso, Crothers revelou que a BBC vai centralizar sua estratégia de TI em cloud computing, o que deverá criar mais espaço no orçamento de TI para aliviar estes problemas. Na estratégia, anunciada no ano passado, a organização comprometeu-se com a criação de uma nuvem privada, chamada B-Cloud.

“Várias coisas que a divisão de tecnologia está falando em implementar, como a nuvem, e agora um data center maior, vão nos permitir fazer os cortes necessários sem afetar a qualidade do serviço. O que precisamos é que alguns destes pilotos entrem em operação, porque estamos alguns anos atrasados e avaliando as opções”, diz Crothers.

O executivo vai além, e lembra que os sistemas antigos são difíceis de gerenciar, que é uma das razões pelas quais a área está buscando estratégias que tenham baixo impacto no suporte. A virtualização e a nuvem vão permitir que mais funções de TI sejam gerenciadas de forma centralizada, o que também vai permitir aos centros regionais da BBC reduzir o número de profissionais de suporte.

“O motivo pelo qual estamos fazendo a mudança é que se você pode hospedar seu ambiente em um data center resiliente, você não precisa de múltiplas instalações. Temos 99 edifícios no Reino Unido e muitos deles poderiam hospedar um data center. Diminuir este número é uma abordagem sensível e é a estratégia que estamos adotando”, ressalta.

Ele citou também alguns dos pilotos em andamento, como os de sistemas de transmissão de rádio que foram virtualizados e têm funcionado de forma positiva. “É provável que sejam implementados em toda a rede, mas não agora. Não há verba para isso”, reconhece.

A declaração esconde o que pode ser outro problema: todos os projetos citados exigem investimentos, e Crothers afirma que isso pode ser um problema diante das restrições que a rede enfrenta hoje. “Você ainda precisa de dinheiro para começar um projeto. Mesmo colocando seu ambiente em um data center, você precisa ter links de baixa latência. Começar a trabalhar neste novo ambiente será um desafio”, diz, lembrando que, mesmo assim, a estratégia deverá ser colocada em prática logo.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa