Com a empresa nas nuvens

  • Compartilhar

Fonte: Decision Report 11 de Maio de 2012

De acordo com dados de uma pesquisa divulgada pela Frost & Sullivan, a nuvem privada é a arquitetura mais usada com 70% de penetração nas empresas brasileiras. A camada de aplicativos SaaS é o mais usado nas plataformas de cloud computing com mais de 85% de presença e destaque para e-mail, CRM e ERP. Seguindo essa tendência, a fabricante de embalagens metálicas Rimet fechou contrato de serviços com a CopFlex para implementação de computação em nuvem.

Com o objetivo de reduzir custos de TI, o contrato contempla serviços de hospedagem de sistemas, e-mails e site, backup e Segurança da Informação entre as cinco unidades da empresa. “Nosso ambiente tecnológico estava obsoleto, apresentava alguns problemas no banco de dados SAP e precisávamos de mais espaço”, diz Carlos Caldeira, gerente de TI da Rimet. “Optamos pela nuvem por ser uma plataforma com ampla capacidade, flexível e com custo acessível”, acrescenta.

Após a análise de sistemas, testes internos e preparação do ambiente virtual, o procedimento de implementação da solução Private Cloud foi tranquilo, sem impactos para os 120 usuários da Rimet. “Conseguimos evitar problemas físicos de quebra de máquinas. Além disso, é mais fácil aumentarmos o espaço disponível para armazenamento em caso de picos de tráfegos”, declara Caldeira.

A CorpFlex é responsável pelo controle e gerenciamento da entrada e saída de informações na nuvem privada da Rimet. O tratamento dos acessos internos também permite a tomada de decisões e troca de dados de forma segura e eficaz entre matriz e filiais. “Somos parceiros desde 2003. Durante esses anos, fomos aprimorando diversos recursos de TI, o que nos trouxe mais estabilidade, seguros e com uma enorme flexibilidade”, completa o gerente.

A otimização do espaço físico e facilidade das configurações são outros benefícios destacados por Caldeira após a adoção da computação em nuvem. Vantagens que se estendem aos clientes da indústria. A CorpFlex apresentou uma solução que impacta diretamente no atendimento aos clientes: o FTP. “Nossos compradores podem arquivar os desenhos das embalagens, por exemplo, em páginas próprias. Isso torna a comunicação e o trabalho muito mais ágeis”, diz Caldeira.

Com o ambiente nas nuvens desde agosto de 2011, os próximos passos da Rimet se concentram em outras aplicações como nota fiscal eletrônica e ampliação dos servidores virtuais. A ideia é aprimorar o ERP e melhorar algumas aplicações. “Estamos aguardando a aprovação final da diretoria para darmos continuidade aos processos de modernização”, finaliza.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa