Como avaliar os impactos da inovação nos negócios

  • Compartilhar

 

*Por Marcos Andrade

Você, CIO, já conferiu aqui  dicas para destacar suas ideias e vender projetos de TI nas reuniões de diretoria da sua empresa. Acontece que, para que esse processo tenha ainda mais chances de sucesso, é preciso que as soluções inovadoras passem primeiro por algumas “peneiras” antes de serem apresentadas oficialmente à companhia.

O CIO precisa primeiramente acreditar no projeto e, com base nisso, levantar as principais motivações para levar uma concepção adiante. Ferramentas de gestão da inovação e de gerenciamento de ideias dão uma ajuda e tanto nessa hora, mas o CIO também precisa estabelecer critérios para seguir antes de escolher as ideias que irá tocar para a frente.

O blog da consultoria de inovação Innoscience destacou, como um dos principais critérios para priorizar ideias de potencial inovador, a necessidade da diminuição das incertezas: no estágio inicial, o projeto pode até apresentar alta incerteza, porém, na medida em que for sendo desenvolvido, elas precisam ir diminuindo e a ideia mostrando evolução na aderência aos processos da organização.

Para fazer uma gestão de ideias adequada, procure responder também às quatro perguntas abaixo, antes de eleger qual será a próxima ideia que sua equipe de TI irá apresentar:

#1 Qual é o problema que se dispõe a resolver?

Quando os projetos inovadores surgem com o objetivo de resolver um problema, é preciso avaliar primeiro se esse percalço é realmente importante para quem o vivencia – se ocorre de vez em quando ou é algo frequente e o tamanho dos impactos que gera – e se as soluções atuais realmente não estão dando conta de amenizá-lo da melhor forma possível. Se não forem, vale se certificar sobre o quão mais eficiente esse novo método de resolvê-lo é.

A 3M é um exemplo de empresa que tem a “inovação no sangue” e sabe muito bem como resolver um problema à base de soluções inovadoras. O papel de recados Post-it, por exemplo, surgiu a partir de uma falha que posteriormente resolveu o problema pessoal de um funcionário e hoje é um dos maiores sucessos da companhia.

#2 Ela está alinhada com os objetivos da empresa?

O CIO precisa ter conhecimento pleno em relação ao planejamento estratégico da empresa. Sugerir à diretoria algo que não vá auxiliar no alcance dos objetivos de negócio pode fazer com que o CIO seja percebido como um profissional desconectado da estratégia, e não como um líder inovador preocupado com o crescimento da organização.

Se a visão da empresa for, por exemplo, se tornar referência no fornecimento de soluções dentro de seu segmento, o propósito da ideia deve ter conexão com esse objetivo e deve ficar bastante claro de que forma. Para a própria Apple, quando reorientou sua estratégia e direcionou seus esforços para o lançamento do primeiro iPhone, poderia não fazer sentido receber ideias para a revitalização de outros produtos como o iPod.

#3 É viável do ponto de vista financeiro e de execução?

O desenvolvimento e a implementação de uma solução inovadora podem exigir certos investimentos que inicialmente não estavam previstos no orçamento, como a concepção de novas tecnologias, por exemplo, e a contratação de mão de obra específica para trabalhar no avanço da ideia.

Por isso, uma estratégia que pode ser colocada em prática na sua gestão da inovação para viabilizar a ideia é contar com um parceiro de outsourcing de TI que ofereça à empresa uma infraestrutura e equipe altamente qualificadas para dar suporte aos projetos. Isso é mais vantajoso também do ponto de vista financeiro, já que sua organização não vai precisar investir na aquisição de equipamentos e na contratação de profissionais especializados.

A Somos Educação, maior grupo de educação básica do Brasil e um dos maiores grupos de educação do mundo, por exemplo, optou por firmar essa parceria para ter melhor respaldo tecnológico e ganhar escala na realização de seus projetos. Veja o resultado!

#4 Vai gerar diferenciais competitivos importantes?

Fazer “inovação pela inovação” não vale. Ou seja, adotar equipamentos de ponta na empresa a fim de modernizar processos não significa, por si só, a adoção de um pensamento inovador. Uma cultura inovadora passa a existir a partir do momento em que toda essa tecnologia começa a trabalhar focada em gerar ganhos em performance de processos, inteligência e vantagens competitivas, gerando resultados efetivos. Sendo assim, entregar tablets para a equipe de vendas, por exemplo, só faz sentido quando ela pode usar a tecnologia para alavancar as vendas em campo apresentando um catálogo de produtos ou checando o estoque em tempo real.

Portanto, dentro do seu gerenciamento de ideias, é essencial elencar os possíveis diferenciais competitivos que a inovação trará e analisar se serão capazes de posicionar a marca de forma destacada no mercado, deixando-a mais perto do seu objetivo principal.

Vale a pena destacar que, caso a solução inovadora ainda não passe nesse teste da gestão de ideias, a dica é trabalhá-la até que consiga ter seu real valor percebido, como no caso do Post-it da 3M. Seguindo esses passos e contando com o apoio do parceiro de tecnologia certo, O CIO vai mostrar mais uma vez o quanto está sintonizado com a proposta da empresa e como é capaz de contribuir com projetos que poderão fazer o negócio ir longe!

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa