Internet das Coisas e Cloud Computing: unidas são mais fortes!

  • Compartilhar

 

Deitar na cama e descobrir que esqueceu a luz acesa é um problema que se resolve com o som das batidas de palma. Programar a sua casa por meio do tablet para lhe receber com a temperatura ideal e com as luzes acesas. Tirar o carro da garagem sem você estar ao volante. Todas essas tarefas cotidianas ganham um novo sentido com a Internet das Coisas (IoT). No entanto, nem todos sabem o que há por trás dessas dádivas tecnológicas: a nuvem. Não exatamente como a conhecemos hoje, mas em um ponto de sua evolução no qual ela consegue dar suporte à conexão e ao processamento de bilhões de dispositivos e ao tráfego de terabytes de dados. Isso porque, até 2020, 21 bilhões de dispositivos estarão em operação na lógica da IoT.

Há quem afirme que, na verdade, serão 50,1 bilhões de celulares, tablets, computadores e até geladeiras conectados 24 horas por dia. Se atualmente são gerados cerca de 2,4 milhões de conteúdos no Facebook, compartilhadas mais de 300 mil fotos via WhatsApp e feitas 4 milhões de pesquisas no Google, os números crescem a cada hora, a cada novo usuário e dispositivo. As informações sobre o tráfego de dados acabam defasadas, mesmo que coletadas há cinco minutos. Onde ficarão os armazenados os dados?

A transformação da TI e a Internet das Coisas requerem espaço e performance que só podem ser atendidos por meio da cloud computing. Imagine que todas as residências, para operar aplicativos e dispositivos, tivessem servidores próprios. Todos teriam que ter formação específica para acompanhar a Internet das Coisas e a transformação provocada por ela. O que é inviável e improvável. Somente a computação em nuvem e investimentos em arquitetura de TI poderão responder pelo sucesso da IoT.

Mas como a Internet das Coisas vai influenciar a gestão de TI? A resposta é com mais investimento em nuvem. Entenda porque:

#A tendência IOT

Se hoje a cloud computing é uma tendência consolidada, a maior influência da IoT sobre a TI passa por reforçar esse caminho sem retorno rumo a uma arquitetura de TI virtualizada. Não é mais possível imaginar o mundo sem a tecnologia. Por isso é indispensável a presença da TI na gestão da internet das Coisas. Porque não é possível colocar informações e aplicações na nuvem sem pensar em como mantê-las a salvo. Com o crescimento da tendência IoT, aumentam os desafios de segurança na Internet das Coisas.

Cada vez mais o mundo se torna mobile e automatizado. A Cisco em seu Visual Networking Index traz essas tendências desenhadas entre 2015 e 2020. O crescimento do tráfego de dados por meio de dispositivos móveis passou por uma explosão nos últimos 15 anos. Ao comparar aquela época com a atualidade é possível constatar um aumento de 400 milhões de vezes na troca de informações via celular. Há dez anos, esse tráfego cresceu 4 mil vezes. Em 1956 o primeiro celular, o Ericsson MTA, surgia com seus 40 quilos. Imagine se fosse possível traçar comparativos entre aquela época e os primeiros dias da IoT, testemunhados hoje.

#Como a nuvem evolui para suportar aplicações de IoT

Suportar tamanho crescimento no tráfego de dados só é possível quando há investimento em estrutura, software e estratégias de segurança. A TI e a Internet das Coisas caminham juntas quando estudos como a Dell State IT Trends 2016 Global Study mostram a predominância da cloud computing como foco dos investimentos de gerentes de TI e líderes de empresas. Em 2016 a nuvem foi o principal direcionador dos investimentos no planejamento financeiro do setor de TI.

A expectativa é a de que a Internet das Coisas e a transformação digital por ela provocada se estabeleça em três pilares:

  • Uma plataforma de IoT aberta, em nuvem e com novos serviços de analytics;
  • Bluemix IoT Zone para integração facilitada de dados em nuvem;
  • IoT Ecosystem que amplia a rede de parceiros.

Não é possível realizar investimentos em TI e IoT sem pensar em cloud computing. A evolução da nuvem de hoje desenha o modo como os objetos ganharão inteligência e nossos dias, mais eficiência. Investir em cloud computing significa caminhar para uma realidade em que a IoT transforma e automatiza tarefas diárias e processos nas empresas, independentemente do tamanho que elas tenham.

Confira no e-book Como uma Atuação Inovadora ajuda a área de TI a ser mais Estratégica, fazendo download gratuito ao clicar aqui

Por: Marcos Andrade, CMO da CorpFlex.

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa