Mercado de cloud computing cresce quase 50% no Brasil

  • Compartilhar

 

O mercado de cloud computing no Brasil cresceu 47,4% em 2016, tendo como base Software as a Service (SaaS – Software como Serviço) e Platform as a Service (PaaS – Plataforma como Serviço). Os investimentos nesse tipo de licenciamento passaram de US$ 506 milhões, em 2015, para US$ 746 milhões no último ano.

Os números são do estudo anual “Mercado Brasileiro de Software – Panoramas e Tendências”, realizado pela ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) em parceria com a IDC (International Data Corporation). A pesquisa aponta que o modelo de utilização que mais cresceu foi o de Aplicações Colaborativas, impulsionando a utilização em nuvem a ultrapassar o licenciamento tradicional: 53,3% do mercado – aumento de 133% em comparação ao número registrado em 2013.

As aplicações que apresentaram segundo maior crescimento foram as de CRM (Customer Relationship Management): a utilização deste tipo de aplicação em nuvem saltou de uma participação de 20,8%, em 2015, para 27,5%, em 2016. Mas, neste caso, o licenciamento tradicional ainda representa a maior fatia do mercado.

Software e serviços
Os investimentos em softwares e serviços no país alcançaram a marca de US$19 bilhões em 2016, colocando o país na 9ª posição no ranking mundial. O mercado software obteve crescimento de 0,2%, em relação a 2015, com US$ 8,475 bilhões, enquanto o mercado doméstico de serviços registrou avanço de 2%, com total de US$ 10,227 bilhões.

Atualmente, o mercado de software e serviços conta com 15.707 empresas, sendo 11.237 delas dedicadas ao desenvolvimento e à comercialização de software e 4.470 dedicadas aos serviços de TI. Dentre as 4.872 empresas dedicadas ao desenvolvimento de software, mais de 95% são consideradas de micro ou pequeno porte, ou seja, com menos de 99 colaboradores.

Foco IoT
Outro destaque apontado pelo estudo é a expansão da internet das coisas (IoT), que avançou 27,8% e atingiu investimentos de US$ 6 bilhões. No Brasil, os principais casos de uso estão em Monitoramento de Frota, que investiu US$856 milhões, seguido por Smart Grid, com US$ 631 milhões. “IoT está intrinsecamente conectada com a reinvenção dos negócios como conhecemos hoje. Esse é um tema tão relevante que há discussões no governo para identificar áreas em que o Brasil pode se destacar dentro de IoT e, com isso, poder estabelecer formas de apoio à pesquisa, desenvolvimento e inovação”, afirma Jorge Sukarie, presidente do conselho da ABES.

Outro vetor de crescimento é o mercado de big data/analytics, que cresceu 3,2% e somou US$ 809 milhões.

Raio-X
O setor da economia que mais investiu em software foi de o de Serviços e Telecomunicações (investimento de US$2,5 bilhões e crescimento de 3,6% em relação ao ano anterior), enquanto o que mais reduziu investimentos foi o de Finanças, com queda de 2,9%, mas que ainda é responsável por 24,5% da participação do mercado frente a 26,6% de Serviços e Telecomunicações. Em terceiro lugar, vem a Indústria que, com investimentos na ordem de US$ 2 bilhões, tem participação de 21%, seguida por Comércio, Governo e Óleo/Gás, representando 11,9%, 4,5% e 3,9%, respectivamente. Já a Agroindústria apresentou redução de 1,5% nos investimentos em Software, mas a coleta recorde de grãos prevista para 2017 deve reverter esse quadro neste ano.

Fonte: IT FORUM 365

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa