A TI estratégica e as tendências de tecnologia para o varejo

  • Compartilhar

*Por Marcos Andrade

O varejo, sem dúvida, é um dos segmentos que mais sentem o impacto da tecnologia, seja pela necessidade de integração da cadeia de suprimentos para garantir disponibilidade de produtos na gôndola, seja para criar uma experiência de compra positiva para o consumidor (Consumer Experience) e, assim, fidelizá-lo.

Desse modo, a TI estratégica tem um espaço importante para ser ocupado e o gerente de TI, uma missão vital neste processo. Ele precisa repensar a infraestrutura de TI existente e avaliar se é possível atender às novas demandas com o que tem disponível daqui por diante. Adiantando a resposta: provavelmente, não.

Para se ter uma ideia realista da relação entre TI e o conceito de varejo, vale citar uma recente pesquisa da CISCO. Ela apontou que os lucros da empresa podem aumentar em até 15,6% quando ela agrega valor ao cliente utilizando tecnologias da Internet das Coisas (IoT), por meio de inovações baseadas em análise de dados em tempo real, sensores, câmeras e mobilidade.

Os serviços de TI tradicionais, como a manutenção dos sistemas de missão crítica, por exemplo, continuam sendo vitais, mas agora, o gerente de TI também precisa pensar em como conduzir a aplicação das novas tecnologias com foco no Consumer Experience e acelerar o desempenho do negócio. Confira algumas tendências de tecnologia que vão impactar o varejo:

# Beacons: são aparelhos de proximidade que enviam notificações via bluetooth para smartphones cadastrados e que também podem guiar o cliente para encontrar o produto desejado dentro da loja, oferecer informações sobre produtos, entre outros.  

# Pagamentos móveis: com um dispositivo móvel em mãos o vendedor pode realizar o check-out do cliente em qualquer ponto da loja, evitando filas, burocracia e otimizando o atendimento.

# RFID: a etiqueta inteligente com identificação por rádio frequência permite controlar o estoque em tempo real, rastrear produtos, viabiliza o pagamento via celular e ainda facilita identificar os produtos mais vendidos.

# Espelho inteligente: sugere ao cliente toda comodidade do e-commerce na loja física. Ao provar uma peça de roupa o sistema recomenda alternativas de acordo com os itens escolhidos e mostra as melhores combinações.

# Wi-fi: integrando esta tecnologia de acesso à internet com o soluções de Big Data, é possível melhorar a experiência do cliente na loja física, associando suas buscas na rede com produtos da loja ou oferecendo descontos em tempo real, por exemplo.

Com a aplicação das tendências de tecnologia para o varejo, a TI estratégica ajuda a identificar o comportamento do consumidor; gerenciar campanhas de marketing; otimizar a precificação; integrar meios de pagamentos e oferecer agilidade para a equipe de vendas. Tudo isso traz como resultado o aumento nos lucros como comprovou o estudo da CISCO citado no início do post.

Se hoje o gerente de TI do varejo ainda dedica grande parte do seu tempo para “apagar incêndios”, como queda de conexão ou atualizações de sistemas, é urgente mudar o cenário e começar a desvendar a computação cognitiva, que proporciona uma experiência cada vez mais personalizada ao cliente.

Ao contar com um parceiro de cloud corporativa é possível ter a segurança de que os sistemas de missão crítica vão rodar perfeitamente, que as informações da empresa estão trafegando com total segurança e ainda dispor de um time de especialistas dedicados ao seu negócio.

Levar o varejo para nuvem certa e usar o que a tecnologia tem de melhor para elevar a competitividade dos negócios neste segmento é o caminho mais eficiente para o gerente de TI transformar sua rotina e agregar valor ao negócio

*Marcos Andrade é CMO da CorpFlex

Fale com a gente para agilizar essa jornada! Clique Aqui

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa