Disaster recovery: quando você precisa de um?

  • Compartilhar

 

*Por Marcos Andrade

Muitos gestores de Tecnologia da Informação (TI) e CIOs se preocupam com a segurança das informações da companhia. Mas muitas vezes se esquecem de criar um disaster recovery plan.

Com o surgimento da computação em nuvem ficou muito mais fácil criar, testar e gerenciar um plano de recuperação de desastres. O modelo permite identificar as vulnerabilidades da empresa e criar uma estratégia de ação para que seja possível dar continuidade às atividades.

Este post tem o intuito de esclarecer as possíveis dúvidas sobre o assunto, além de contribuir para que você possa saber escolher o disaster recovery ideal para a sua empresa! Acompanhe!

1- O que é a recuperação de desastres?

O disaster recovery plan é, em termos gerais, é um plano de contingenciamento e recuperação. No caso de uma estrutura em cloud computing, por exemplo, quando os servidores internos caem, a empresa que o adota tem como alternativa todos os conteúdos hospedados na nuvem, minimizando as perdas.

Sendo assim, esse planejamento de recuperação de desastres tem o objetivo de garantir a continuidade das operações da empresa, pois possibilita de forma rápida o acesso a servidores de contingenciamento.

Nesse sentido, a estratégia deve providenciar um passo a passo das ações necessárias – envolvendo hardwares, softwares e equipes – para recuperar sistemas e infraestruturas de TI a fim de minimizar os impactos econômicos e na imagem da corporação. Entre os itens que precisam constar no disaster recovery plan estão:

  • O planejamento e os objetivos do plano;
  • Membros da equipe para contato emergencial;
  • Orientação sobre as ações de resposta a determinado incidente;
  • Uma listagem sobre os softwares e sistemas que precisam ser recuperados;
  • Indicações sobre como lidar com situações financeiras, legais e com a mídia;
  • Diagrama completo da rede e as indicações para chegar ao site de recuperação de desastres.

Esse tipo de serviço tem o intuito de oferecer mais segurança para as companhias ao oferecer réplicas das informações mais importantes. Contudo, não se confunda: backup online é diferente de Disaster Recovery. Que tal entender melhor o diferencial de cada serviço? Acompanhe!

2- Mas, afinal, qual a diferença entre Disaster Recovery e backup online?

Os dois modelos integram os serviços de segurança na nuvem. Contudo, há algumas diferenças entre eles. Veja:

# Disaster Recovery

O Disaster Recovery oferece uma solução para que a companhia recupere informações em casos de desastres – sejam eles a queda de sistemas ou incêndio.

Para tanto, é realizada uma réplica dos principais dados que constam no Data Center da empresa. Essas informações são enviadas para um site. Então, quando alguma situação crítica ocorrer basta utilizar os registros do plano de recuperação de desastres e acessar o ambiente em Cloud Computing.

Dessa maneira, mesmo que a sede da corporação sofra um incêndio ou alagamento os funcionários poderão trabalhar home office. Basta que eles tenham acesso ao disaster recovery plan.

# Backup Online

Já o backup online é uma cópia de segurança dos servidores e espaços de trabalho dos funcionários realizada automaticamente. Sendo assim, os dados da companhia podem ser acessados de qualquer lugar ao utilizar login e senha.

Essa é uma maneira prática de visualizar as informações para realizar consultas durante uma reunião, por exemplo, ou quando a corporação possui filiais. Afinal, os dados ficam armazenados em um ambiente Cloud com o intuito de resguardar tudo que é importante para a empresa.

Logo, há uma diferença entre

e backup online. Diante disso, é fundamental analisar as necessidades da companhia e escolher a melhor solução para o negócio.

3- Quais são os benefícios do Disaster Recovery plan?

Esse plano de recuperação de desastres oferece muitas vantagens para a empresa, pois ele dá mais segurança para as atividades do dia a dia e evita problemas com clientes e fornecedores. Conheça algumas delas:

# Evita prejuízos

Imagine o seguinte: a equipe tem um prazo para entregar determinado produto para um cliente e, de repente, a empresa sofre um ataque cibernético e perde todos os dados. Como cumprir a data estabelecida? Quais os riscos à imagem da corporação?

Ao criar um disaster recovery plan esses problemas são minimizados, uma vez que é possível recuperar os dados e dar continuidade às atividades.

# Garante a segurança

O plano de recuperação de desastres assegura que todas as informações necessárias para a continuidade das operações da empresa estejam seguras. Desse modo, não há interrupção nas atividades por falhas humanas, nos hardwares ou invasões de vírus.

Isso porque essa solução utiliza inúmeros servidores para armazenar as informações. Com isso, sempre haverá um recurso disponível para que a equipe possa desempenhar as atividades com tranquilidade e segurança.

# Organiza processos e preserva a imagem da companhia

Essa solução também contribui para que as pessoas saibam como proceder em um caso de emergência. Como consequência, a situação é resolvida mais rapidamente e não é necessário promover alterações na estruturação da empresa.

Para complementar, essa medida ainda previne a corporação de processos judiciais e multas contratuais, o que resguarda a sua imagem.

4- Quando é necessário ter um disaster recovery plan?

Esse plano de ação é indicado para as companhias que precisam manter a continuidade das operações, independentemente do que aconteça no ambiente externo ou interno.

Por exemplo: um ecommerce que tem muitos clientes e necessita garantir o prazo de entrega. Já pensou se ocorre uma falha nos servidores e não há nenhum plano de recuperação de desastres? O site pode ficar fora do ar por horas e a empresa pode perder muito dinheiro em negócios.

Essa solução também é importante para empresas de médio e grande porte. Imagine uma multinacional instalada em várias regiões do mundo, entre elas o Brasil. Os funcionários precisam compartilhar informações sigilosas entre os setores, informar os registros financeiros e balanços mensais. Como ficariam esses dados em incidentes como um alagamento? Como justificar a falha para a presidência da corporação, muitas vezes estabelecida em outro país?

Portanto, esse tipo de solução é indicada para as corporações que não podem correr riscos de ficarem paradas por horas enquanto a equipe de TI encontra uma solução para o problema. Ela também é uma ótima aliada para as companhias que possuem grande volume de dados presentes em variados sistemas.

5 Como escolher um Disaster Recovery ideal para a sua empresa?

Após conhecer a diferença entre Disaster Recovery e backup online e entender todas as vantagens da solução, é fundamental saber escolher o disaster recovery ideal para sua empresa.

Uma característica a ser avaliada é a gestão de todo o processo. Algumas corporações oferecem orientação sobre a contratação de rede, abertura de chamados e monitoramento das informações. Sendo assim, há muito mais segurança de que o serviço funcionará corretamente.

Somado a isso é importante considerar a reputação da prestadora de serviço, a experiência no mercado e a qualidade da equipe de suporte técnico. Afinal, se algum incidente ocorrer a companhia poderá contar com um atendimento especializado. Além disso, ao utilizar um serviço terceirizado a equipe de TI terá mais tempo de cuidar do core business da empresa.

Nesse contexto, você já entende a diferença entre DRaaS e backup online e sabe como escolher um disaster recovery ideal para a sua empresa.

Que tal aproveitar para descobrir como uma Solução de Disaster Recovery pode ajudá-lo? Clique Aqui

*Marcos Andrade é CMO da CorpFlex

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa