Inovação em TI é a chave para a área ser percebida como estratégica

  • Compartilhar

 

*Por Edivaldo Rocha

Qual foi a última vez que você esteve, pessoalmente, em uma agência de turismo para comprar um pacote de viagem? Por acaso se lembra do último DVD que alugou? Se você pensou demais para responder essas duas perguntas, isso mostra o quanto a inovação vem revolucionando processos em todos os segmentos de mercado e revolucionará cada vez mais!

Silvio Meira, fundador do Porto Digital, um dos principais parques tecnológicos e ambientes de inovação do Brasil, afirma que inovação é, por definição, a mudança do comportamento de agentes do mercado como os fornecedores ou consumidores. Por isso, ele entende que o setor de Tecnologia da Informação (TI) precisa conversar mais com os usuários e clientes para descobrir suas necessidades e, assim, criar negócios inovadores.

Dessa forma, a inovação em TI deve ser aplicada com foco em gerar ganhos em performance de processos, inteligência e vantagens competitivas. Não é a inovação pela inovação, com a adoção pura e simples de tecnologias de ponta, mas sim adotar um pensamento inovador que traga resultados efetivos para a empresa.

Isso está diretamente relacionado com a adoção de parceiros de TI que proporcionem um atendimento diferenciado e que garantam a disponibilidade do ambiente operacional. Ou seja, o CIO delega atividades de alto custo e baixo valor agregado para um parceiro especialista e pode dispor de mais tempo e energia para trabalhar em projetos inovadores que trarão ganhos para a empresa, inclusive em conjunto com outras áreas.

Uma construtora, por exemplo, não tem como foco manter uma estrutura robusta de TI para suportar sua atividade principal, que é a construção e incorporação de empreendimentos. Quando seu CIO decide delegar a parte operacional para um parceiro altamente qualificado, ele passa a contar com uma TI estratégica de verdade. Foi o que aconteceu com a Carvalho Hosken que realizou o outsourcing de TI e passou a participar muito mais ativamente do negócio.

A área de TI passou a se posicionar de forma estratégica, liderando a inovação dentro da construtora, garantindo assim a sua participação na definição de todo sistema ou solução tecnológica que iria ser adotado. Antes do outsourcing de TI, a equipe era acionada em caso de problemas dos usuários, mas sem gestão sobre os contratos firmados diretamente pelas áreas.

Essa nova TI estratégica, que chama para si a responsabilidade pela inovação, precisa contar com um parceiro que se relacione com proximidade e tenha todas as ferramentas necessárias para manter o ambiente dos aplicativos de missão crítica (como de ERP, CRM ou e-commerce) em ordem e disponíveis. Essa infraestrutura garante ganho de escala, segurança dos dados em linha com a governança de TI, redução de custos e, principalmente, um atendimento ágil em momentos de crise.

O fundador do Porto Digital confirma essa vantagem, afirmando que os negócios que apostam em inovação em TI lucram em média 26% a mais e têm faturamento 9% maior, em comparação com empresas que investem pouco em TI.

Está na mão do CIO liderar o processo de inovação em TI dentro das empresas, seja por meio de projetos de TI ou viabilizando projetos de outras áreas. Com as “máquinas rodando” em perfeito estado, o executivo vai conseguir focar na inovação tão necessária para todos os segmentos.

*Edivaldo Rocha é CEO da CorpFlex

Leia mais no Blog:

Dicas práticas para você inserir inovação e liderança na gestão de TI. Saiba como!

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa