Mercado brasileiro de TI cresce 7,3% em 2015, acima da média mundial de 3,4%

  • Compartilhar

Mercado de TI Site

O mercado brasileiro de TIC em 2014 somou receitas da ordem de US$ 157 bilhões, divididas em US$ 59 bilhões de TI e US$ 98 de telecomunicações. Em 2015, apenas o de TI deve crescer 7,3% em relação ao ano anterior, bem acima da média mundial que será de 3,4%, totalizando US$ 64,3 bilhões neste ano, apesar da recessão econômica. A informação é de Luciano Ramos, coordenador de Pesquisa de Software da IDC Brasil, na palestra realizada no evento Dell Solutions Roadshow, na última quarta-feira, 25, em São Paulo, acrescentando que esse mercado está altamente concentrado na região Sudeste, com 63% do total, onde São Paulo representa 30%.

Falando para uma plateia de usuários, ressaltou a relevância da chamada 3ª plataforma de tecnologia, que reúne cloud computing, mobilidade, analytics e social business, onde se destaca a mobilidade, pois pesquisas constaram que os brasileiros, no segundo trimestre desse ano, compraram 100 smartphones por minuto. A média mundial de dispositivos conectados era de 46% em 2010, sendo que no Brasil o número era 26%, mas em 2015 esse cenário mudou radicalmente, pois a media global foi de 83% e o Brasil atingiu 81%, diminuindo esse gap significativamente. “No mercado de IoT o país crescerá de 130 milhões de dispositivos conectados em 2015 para 260 milhões em 2020”, acrescenta.

Outra constatação relevante apresentada pela IDC é que o custo de administração de TI continuará crescente, onde 69% estão comprometidos com administração e gestão do ambiente; 11% com energia e refrigeração e 20% para compra de novos ativos. “De 1985 para cá, o custo de energia cresceu 3 vezes mais, enquanto administração e gerenciamento cresceu 8 vezes mais, motivo pelo os CIOs devem se preocupar em automatizar as operações, para reduzir esse custo”, enfatiza.

Ele recomendou às empresas atualizarem a plataforma tecnológica, pois, por exemplo, os novos processadores economizam energia e a virtualização diminui espaços necessários aos servidores dentro do data center.

Entre as tendências que os CIOs devem avaliar, além da virtualização, estão SDE – Software Definid for Everething, cloud, arquitetura convergente e tecnologia flash.

Negócios

Ramos também salientou que os CIOs devem se preocupar em como a TI deve ajudar a alavancar os negócios das empresas, pois cada vez mais eles estão perdendo a influência na decisão de adoção da tecnologia. Em 2013, 75% das decisões de compras eram tomadas pela área de TI, e apenas 25% pela de negócios, a chamada LOB (line of business). Em 2015, TI decide 60% e LOB, 40%, mas a projeção para 2020 é de uma inversão, com o LOB decidindo 67% enquanto TI diminui seu poder de decisão para apenas 33%.

Fonte: ti inside

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa