Varejistas intensificam uso de big data e internet das coisas

  • Compartilhar

 

Um levantamento realizado pela Vertiv e Datacenter Dynamics com 50 dos maiores grupos de varejo do mundo, que têm receita combinada de US$ 953 bilhões, detalha o impacto da transformação digital sobre esse segmento. De acordo com a pesquisa, até 2020, recursos de data centers dedicados ao e-commerce devem aumentar em 20%. Já o número de centros de distribuição pode crescer 26%.

A pesquisa revela, portanto, enquanto os varejistas competem para oferecer experiências do usuário mais singulares e personalizadas, o uso de nuvem, internet das coisas (IoT) e big data será cada vez mais intenso em lojas, canais on-line e centros de distribuição. Espera-se que a quantidade de espaço de data center dedicada a distribuição/logística aumente em 10% e que o uso de hospedagem na nuvem para suportar a distribuição aumente em 87%.

Segundo o relatório da Vertiv, porém, um quarto dos varejistas ainda está defasada no processo de adotar novas tecnologias e integrá-las entre as diferentes operações. Isso é importante para gerar uma experiência do cliente mais integrada, independentemente de ser online ou física.

Assim, portanto, as empresas estão trabalhando para oferecer uma experiência do cliente impactante, seja na loja física, seja na operação on-line. “Trata-se de um desafio. Qualquer que seja o ambiente de negócios – on-line, na distribuição/retaguarda e na loja – novas demandas são feitas à infraestrutura física. A meta é, em todos os casos, aumentar a confiabilidade da TI, acelerar o time-to-market, conter custos e reduzir a complexidade da gestão”.

Edge Computing

A enquete confirma, ainda, que mais poder computacional está sendo movido para as lojas, para suportar os tipos de aplicações de Edge Computing que aumentam a intimidade com o cliente e os influenciam diretamente no ponto comercial.

“Os varejistas moverão mais footprint de TI para as lojas, para se aproximarem dos clientes e influenciá-los mais perto do ponto de decisão de compra”, disse Martin Olsen, Vice-Presidente Global de Soluções Edge e Integradas da Vertiv. “Nossa previsão para os próximos anos é de que o investimento em TI para lojas e distribuição seja o dobro daquele destinado ao data center central. Boa parte desse investimento no data center principal está sendo feito para suportar o online e as lojas.”

Para suportar sua transformação, os varejistas estão adotando novas opções de infraestrutura física que proporcionam maior confiabilidade e uma implementação fácil e rápida. Essas tecnologias se baseiam em projetos modulares padronizados, escaláveis (acompanham a demanda por capacidade) e, também, apostando em avanços tecnológicos next-generation.

Fonte: IT FORUM365

Comentários

  • Compartilhar

Posts Relacionados

Quem já está na nuvem certa